Passeios Nocturnos

Às vezes dava-lhe para sair de casa a meio da noite. A bem dizer, meio da noite talvez seja vago, apesar da equilibrada divisão temporal. Especificamente, gostava de sair naquela hora em que a maioria das pessoas regressava a casa, depois de momentos de convívio, de troca de palavras regadas e desregradas.

Gostava desse desfasamento entre ele e o resto do mundo.

A essas pessoas, sentia-lhes os passos pelas costas e seguia o seu caminho como se de uma libertação se tratasse. Adorava essa sensação e ia vivendo-a silenciosamente, ao mesmo tempo que absorvia a envolvência.

Gostava de olhar as montras, os escritos e artes de rua, as eventuais árvores e verdes que pintalgavam de natureza o cenário citadino. Gostava de admirar os prédios que se erguiam pela rua e onde, a cada noite que passava, conseguia descobrir novos detalhes que o fascinavam. Levantava os olhos mais alto e sorria com eles para as estrelas e para a Lua, que desde criança o atraía quase lascivamente.

Este era o seu momento. Aquele momento em que saía de casa a meio da noite, àquela hora da noite, em que seguia sem rumo, aprendia coisas novas e fugia da rotina.

Às vezes dava-lhe para isso e às vezes dava-lhe para lhe apetecer não regressar,… para não ser, a horas desfasadas, um como os outros.

Aurora Buzilis

New York • Apr 2012 • Michael Donovan
New York • Apr 2012 • Michael Donovan Tumblr

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s