Luzes de Natal

Posso acreditar em muita coisa e sentir muita coisa, mas não acredito, nem sinto o Natal. É simplesmente algo com o qual nunca me sintonizei. Sempre achei uma época forçada, sem naturalidade, nem consistência. Deprime-me, farta-me, e quando chega esta altura, o que mais me apetece é fechar os olhos e acordar a meados de Janeiro. Não vou falar da máquina de fazer dinheiro, do comércio, das mensagens padronizadas e rituais superficiais, nem das aparências, que de espiritual não têm nada (apesar de serem omnipresentes, omnipotentes e omnifluentes), aqui escolho realçar um espírito forte que contagia e se espalha em tudo e em todos – e que devo, apesar de tudo, reconhecer – nesta época algo se eleva na mente e nos corações das pessoas. Nem que seja apenas por alguns dias. Os índices de tolerância, compaixão, paciência, amizade e solidariedade aumentam. Numas, mais que outras, o facto é que as pessoas se esforçam um bocadinho mais e se juntam um bocadinho mais. Gosto disso. Também gosto da fantasia inerente. Mas devo avisar que não é suficiente… É uma altura sensível, de emoções à flor da pele que pode resvalar para vários lados, dependendo da realidade de cada um. Insisto, falta-lhe a consistência… E a durabilidade e o equilíbrio. E onde poderemos encontrar isto tudo?… Certamente não é nas lojas, nem dentro do Bolo-rei.

Questiono-me… mas o que é que significa mesmo o Natal para cada um de nós? O que é que celebramos? Entregamo-nos a este ritual porque um dia nos disseram que era assim?… Ninguém sabe ao certo quando é que Jesus Cristo nasceu. Ok. Festejemos. Mas será que não pode ser de outra maneira?… Qual a melhor maneira de honrar o espírito do Natal e o da Família? Qual a melhor maneira de nos honrarmos a nós próprios? Todos os dias da nossa vida.

Para que conste: apesar de tudo, sou bastante sincera e verdadeira quando entro no esquema e dou prendas e desejo felicidades natalícias ao pessoal e digo Boas Festas com um sorriso! Sou sincera e verdadeira quando me junto à minha família para festejar não sei bem o quê, mas que também não interessa, porque mal ou bem estamos juntos e existimos. Olho para todos eles e vejo uma parte de mim e eu sou uma parte deles. Agora e sempre.

Fala-se muito em desejos nesta altura. Em votos. Pois bem…. reitero o que disse há 1 ano:

Sem pressas, nem perdas de tempo, que o Amor, a Alegria e a Luz saiam vencedores. Que a Paz impere e a Saúde nunca falte!

Boas Festas! No sentido lato.

Aurora Buzilis

luzes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s