Renascer

Eu não sou eu. Já não sou eu.

Era outra, mas já não.

Que no caminho adiante,

uma cabe, apenas.

No limiar do renascer,

a transformação.

 

Tanto andou de morte em morte,

nada mais lhe resta senão viver.

 

Despeço-me dela…

que era da minha carne.

 

Eu chego completa e ela parte.

Aurora Buzilis

@ Maureen Dai

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s