A queda

Caimos ao mar,

suspensos em livres arbítrios e empurrados pelo destino.

Envolves-me com força de braços e pernas,

prometes que nunca me abandonarás.

A água desliza pela nossa pele atormentada e redefine,

pela força da rebentação, novos contornos em mim. Em ti.

Continuamos a cair e nem percebemos o quanto o ar nos falta.

O quanto somos livres para nadar.

Deslizo as minhas mãos pela tua pele e memorizo

antes que o véu caia sobre mim… Amanhã serei eu a partir.

Esqueço-me de respirar e fecho os olhos.

A terra para mim não é mais que sorte.

Aurora Buzilis

mar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s